O Sporting merece o título. Ponto final

02-06-2021 | 10:43 | | |

O Sporting merece o título. Ponto final

Escrito por Filipe Bastos

Eis que, 19 anos depois, o Sporting se sagra campeão nacional. Ou seja, o Sporting tinha tantos anos de jejum, quantos anos O Gaiense tem de vida.  De facto, foi em 2002 que nasceu o nosso jornal. E foi nesse mesmo ano que o Sporting conquistou o seu último título.
Esta semana, frente ao Boavista, em Alvalade, o Sporting confirmou o título desta época que, aliás, vinha sendo apontado ao longo de várias jornadas em que se conseguiu manter na liderança (líder desde da 6ª jornada). Um feito digno de registo, sobretudo porque foi conquistado por um jovem treinador, que nem o curso completo tem, mas que já provou ter jeito para a coisa.
Houve, aliás, muitos sportinguistas que desconfiaram dele. Do Rúben. Pelo seu benfiquismo. Mas esse facto ainda valorizou mais o seu trabalho. Mostrou que o profissionalismo tem que estar sempre acima de tudo. Foi o que ele fez. Ele, na sua profissão, é, apenas e só, treinador de futebol. E, nessa circunstância, pode e deve treinar o Sporting, FC Porto, Benfica, ou outro clube qualquer. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.
Aliás, convém não esquecer que foram os ‘olheiros’ do Benfica que não viram no Rúben a qualidade suficiente para ele servir o clube. Pumba, pagaram a esperteza.
Ora, é bom que se diga que o Sporting é um justo vencedor. Teve sorte? Teve! Mas há algum campeão sem uma pontinha de sorte? Costuma dizer-se que a sorte protege os audazes. E o Sporting teve vários. O presidente Varandas, o responsável pelo futebol, Hugo Viana e, claro, Rúben. Fizeram apostas, muitas delas de risco elevado. Mas resultou. Só têm que receber os parabéns.
É tempo de dizer que tem que haver o fair play necessário para se reconhecer o valor dos nossos adversários, em vez de andarmos sempre à procura de razões para lhes retirarmos o mérito.
O Sporting merece o título. Ponto final. Ah!, e ainda vai ter direito a público, em casa, no último jogo.