Otelo merecia luto nacional

30-07-2021 | 13:34 | | |

Otelo merecia luto nacional

Escrito por Filipe Bastos

Vivi o tempo suficiente antes do 25 de Abril, para perceber a dimensão do gesto do estratega do plano militar que derrubou o regime fascista que se vivia em Portugal há 48 anos, Otelo Saraiva de Carvalho. Nem sequer vou trazer à colação a minha história pessoal de ‘fuga’ para não ir para o ultramar ‘matar pretos’ que eu já na altura achava que não tinham feito mal nenhum - tal como os nossos soldados - para suportarem uma guerra tão estúpida. Por isso me tem doído a forma como uma grande parte tem comentado a morte de Otelo que, aliás, ironia do destino, só o podem fazer à custa dele. Caso contrário, estariam escondidos, algures, à espreita de um descuido da PIDE para poderem expressar a sua opinião. Foi Otelo que traçou e comandou, com imensa coragem, o plano que nos levou à liberdade. E, esse facto, é deveras importante para estarmos, nesta altura, a tentar desvalorizá-lo. “A ele a Pátria deve a liberdade e a democracia. E esta é dúvida que nada, nem ninguém, tem o direito de recusar”, disse Ramalho Eanes. Este é o foco! Esmiuçar, nesta altura, todas as vicissitudes da vida de Otelo, é tentar diminuir - ou mesmo ocultar - o papel decisivo que protagonizou. “Hoje, não teremos o Portugal com que cada um de nós sonhou, mas temos o Portugal que os portugueses têm sido capazes de construir. Em Liberdade”, disse Vasco Lourenço. Remato eu: à custa de Otelo. Ponto final. O resto são histórias da carochinha para esconder a posição do governo - e concordância de Marcelo - de não decretar luto nacional.