19 anos sempre à procura da perfeição

01-06-2021 | 17:27 | | |

19 anos sempre à procura da perfeição

Escrito por Filipe Bastos

É uma luta incessante. De procura. Desde que nascemos, em maio de 2002, que procuramos fazer um produto que vá ao encontro do gosto dos leitores. Por isso, mais uma vez nos renovamos. Mudamos o grafismo para estarmos mais atraentes, mais leves, com novos motivos para leitura. Fomos, até, um pouco mais longe e alteramos, embora de forma ligeira, o logótipo do jornal, mantendo-nos, porém, firmes nas convicções que determinámos quando vimos a luz do dia, há 19 anos.
“Adoramos a perfeição, porque a não podemos ter; repugná-la-íamos se a tivéssemos. O perfeito é o desumano porque o humano é imperfeito”, disse Fernando Pessoa.
Por isso, O Gaiense foi, é, e será sempre um produto inacabado. Um produto que continuará diariamente a ir ao encontro da perfeição, muito embora tenhamos a noção exata que atingi-la, como diz o poeta, é quase desumano. Mas a busca dessa perfeição foi, é, e será o nosso desígnio. Porque achamos que quem nos lê merece de nós toda a preocupação em lhes dar o melhor. Esse é o nosso caminho, do qual não nos queremos desviar.
Produzir um jornal, falar de factos e de pessoas, produz sempre alguma matéria suscetível de provocar diferentes opiniões. Mas o importante é termos a consciência tranquila em relação à linha que traçamos de nos dedicar a Gaia e aos gaienses.
Acresce que O Gaiense, logo no ano do seu nascimento, determinou que uma parte da sua missão seria envolver-se na sociedade, criando alguns eventos que premiassem muitas das suas ações. Foi assim com ‘O Melhor Treinador’, com as ‘7 Maravilhas de Gaia’, com o ‘Melhor Escola, com o ‘Gaia é Fado’, onde promovemos e, repito, premiamos a ação de vários agentes da sociedade do concelho. A prática da cidadania é outro dos nossos desígnios que cumprimos nos eventos que enumerei e, também, no Circo Solidário que fazemos sempre no Natal para angariar muitos quilos de alimentos que a Cruz Vermelha distribui, transformando os alimentos em quilos e quilos de amor ao próximo.
Mas queremos continuar. E, se Deus nos ajudar, iremos, muito em breve, brindar à edição número 1000, de forma consecutiva, sempre ao sábado. Obrigado, leitor, por nos acompanhar